Central completa 25 anos no Dia Internacional das Mulheres e sindicalistas lembram a data

No Dia Internacional da Mulher, a Força Sindical/SP deu início nesta terça-feira, dia 8 de Março, a uma série de eventos em comemoração ao ‘Março Mulher’. O evento, promovido pela Secretaria Estadual da Mulher da Força Sindical-SP, foi realizado no auditório do Sindicato da Saúde SP (SinsaudeSP). A diretoras do SEAAC Campinas e região, Elizabete Prataviera, presidente, Anna Carolina Delfino Hipólito de Moraes, Secretária-geral e Luciana P. Franco, Secretária da Mulher, Criança e Adolescente, participaram do evento.

Helena Ribeiro, secretária de Políticas para as Mulheres da Força-SP, ressaltou que cada uma das mulheres deve ter consciência da sua importância na luta por mais conquistas e espaço nos diversos setores da sociedade. “As mulheres precisam ter influência e capacidade na ação de decidir sobre os temas que afetam sua vida”, declarou a secretária estadual da Mulher da Central, Helena Ribeiro da Silva.

A secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Maria Auxiliadora, comemorou as conquistas das trabalhadoras ao longo dos anos, mas alerta que muito deve ser feito e a mobilização das mulheres deve ser cada vez maior. “Nossa luta continua por igualdade de oportunidades e de salários”, ressaltou Auxiliadora.

Valclécia Trindade, 2ª secretária da Central, citou e parabenizou dirigentes sindicais que não puderam participar do evento, entre as quais Nair Goulart, Monica Veloso, Gleides Sodré, que tiveram contribuição fundamental não só na luta das mulheres, mas também para tornar a Central forte como é atualmente na luta pelos trabalhadores e trabalhadoras. “As mulheres devem exercer um papel de protagonismo maior nas decisões que envolvem todas as questões referentes às mulheres”.

Ruth Coelho, secretária de Direitos Humanos da Força Sindical, disse que é preciso lutar para que as mulheres tem condições para se desenvolverem e assim ocuparem mais espaço na sociedade. Maria de Fátima, diretora do Sinsaude/SP, ressaltou que para as mulheres terem reconhecimento da sua importância e atuação na sociedade é preciso mobilização e trabalho constantes.

João Carlos Gonçalves, Juruna, representou o presidente da Central, e reafirmou a importância da organização das mulheres dentro do movimento sindical e na sociedade. “Nossas mulheres são exemplo de superação, lutas e conquistas ao longo de anos de histórias”.

Danilo Pereira, presidente da Força Sindical/SP, convidou a todos para que fizessem uma reflexão sobre os avanços até hoje nos direitos para as mulheres e de que forma as mulheres podem conquistar ainda mais direitos.

Devemos combater todas as formas violência que são exercidas contra nossas mulheres, e em todos os ambientes, seja no trabalho, em casa, nas ruas defendeu Melquiades de Araújo, vice-presidente da Central e presidente da Fetiasp. “As mulheres devem ser parceiras dos homens para que juntos possam garantir os direitos já conquistados e lutarem por melhores condições”.

Sérgio Luiz Leite, Serginho, 1º secretário da Central e presidente da Fequimfar, parabenizou a Central e todas as mulheres pelo dia especial e alertou que neste momento em que o governo tem a intenção de retirar direitos dos trabalhadores o movimento sindical deve estar atento e mobilizado. “Nosso papel é mostrar para o governo e a sociedade a importância de manter a diferença na idade mínima para aposentadoria entre homens e mulheres e não permitir que seja retirado este direito conquistado graças a muita luta do movimento sindical“.

Palestras
Durante o evento foram ministradas duas palestras uma sobre “Empoderamento da Mulher e a Importância do Autoconhecimento” feita pela delegada Rosmarie Correa, presidente da Comissão Estadual da Condição Feminina. Já o tema “Reforma da Previdência e seus Reflexos para as Trabalhadoras” ficou a cargo da advogada Tonya Galleti, mestra em Direito Político e Econômico e consultora jurídica especializada em Direito Previdenciário.

Caminhada dia 30
A reforma da Previdência também será tema do fechamento do ‘Março Mulher’ promovido pela Força Sindical Nacional.

Auxiliadora convocou as trabalhadoras e os trabalhadores presentes para uma caminhada que será realizada até a sede do ministério da Previdência, em São Paulo. O ato previsto para acontecer dia 30 de março, marcará o encerramento do ‘Março Mulher’.

“Lutamos pela Igualdade de oportunidades entre homens e mulheres e nossa mobilização é fundamental para que este direito seja adquirido e não sejam retirados nossos direitos como quer o governo ao propor igualar a idade mínima para aposentadoria entre homens e mulheres”, disse a sindicalista.

Fonte: Força Sindical São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.