Artigos de menuUltimas notícias

Museu das Culturas Indígenas de SP tem programação dedicada à defesa de direitos em setembro

Atividades especiais começam nesta terça, dia 5, Dia Internacional da Mulher Indígena

Museu fica no bairro da Água Branca, na capital paulista – Divulgação

O Museu das Culturas Indígenas (MCI), na capital paulista, vai promover uma série de atividades gratuitas neste mês de setembro para tratar de assuntos relacionados com direitos, territórios e educação. As atividades especiais começam já nesta terça-feira (5), Dia Internacional da Mulher Indígena, a partir das 16h, em evento com lideranças femininas indígenas.

A atividade vai contar com as presenças de Ivanildes Kerexu, liderança Guarani Mbya da aldeia Rio Branco, e Jandira Para Mirim, cacique do grupo Guarani Mbya, aldeia do Jaraguá, em São Paulo. Elas vão falar sobre suas experiências e contar histórias de personalidades que combatem a invisibilidade feminina, como Kerexu Mirim (Aurora), liderança político-religiosa e conselheira Guarani Mbya da aldeia Boa Esperança, em Aracruz (ES).

Ainda na terça-feira, haverá exibição do documentário em curta-metragem Guaranis do Espírito Santo, de Andre Tonacci. O filme, de 1979, mostra a luta pela preservação da terra e manutenção do modo de vida dos Guarani Mbya, na aldeia Nova Guarani, no Espírito Santo, em meio a conflitos pela terra na década de 1970.

No feriado de 7 de setembro, professoras e professores dos ensinos fundamental e médio são convidados a participar de atividades e oficinas do ciclo formativo em temáticas indígenas. Serão apresentados termos e referências comuns aos povos originários. Conduzidas por indígenas do programa educativo do museu, as atividades acontecem em dois turnos: às 10h e às 15h.

A programação do mês prevê ainda debates, exposições, visitas guiadas e exibições de documentários. A programação completa está disponível aqui. Em pauta, as lutas por direitos e a diversidade cultural dos povos originários. Para participação das atividades gratuitas, os interessados devem fazer a retirada de ingressos no site do museu

Fonte: Brasil de Fato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *