Artigos de menuUltimas notícias

Quais doenças o estresse é capaz de desencadear?

Segundo dados da OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo, e cerca de 90% da população mundial sofre com algum grau de estresse. No 13º episódio da sétima temporada do Conexão VivaBem, Marcelo Neubauer, infectologista e acupunturista membro do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, fala sobre o assunto.

Quais doenças o estresse é capaz de desencadear?

A principal condição que o estresse pode desencadear é a ansiedade, mas ele também pode levar a hipertensão, precipitar o diabetes —não significa que a pessoa ficará diabética por conta disso, mas se ela já tem uma predisposição para se tornar diabética aos 50, por exemplo, e levar uma vida estressada, ela terá a doença aos 40.

Além disso, o estresse tende a piorar doenças coronarianas. São indivíduos que têm angina (dor no peito causada pela diminuição do fluxo de sangue no coração) mais cedo, que infartam mais —dependendo do caso, um pico de estresse pode provocar um infarto e ser fatal.

Outros problemas incluem insônia, que pode estar associada ou não a ansiedade, dor crônica, correria da vida moderna, entre outros.

Estresse pode provocar alergias?

Existem várias doenças de pele que pioram pelo estresse, como vitiligopsoríase e dermatite atópica.

No caso de uma alergia física ou de uma doença que tenha uma causa emocional, o tratamento mais indicado é dermatológico ou psicológico?

Ambos, não dá para dissociar uma coisa da outra. É necessário ter um dermatologista que auxilie nas patologias, mas também o psicólogo e psiquiatra que ajudem a equilibrar a parte emocional.Continua após a publicidade

Como ficar menos estressado?

Buscando mais qualidade de vida. A questão não é só a quantidade de estresse que a pessoa vive no dia a dia, mas como ela lida com isso.

Nesse sentido, é fundamental ter válvulas de escape, ou seja, fazer coisas que ajudem o indivíduo a viver melhor, como praticar atividade física, fazer terapia ou até trabalhos voluntários.

Fonte: VivaBem/UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *