Artigos de menuUltimas notícias

Semana de 4 dias: Satisfeitos criam mais, diz chefe de empresa com 35 mil patentes

A semana de trabalho de quatro dias favorece a inovação, já que funcionários mais satisfeitos conseguem criar mais. É o que diz em entrevista ao UOL Líderes Giancarlo Ghirotti, presidente no Brasil da empresa japonesa Ricoh, que produz impressoras, projetores e outros produtos.

O que ele disse

Para inovar, é preciso ter funcionários satisfeitos. A Ricoh tem 35 mil patentes no mundo e está em 26º lugar no ranking global de patentes da IFI Claims Patent Services. O executivo diz acreditar que uma semana de quatro dias de trabalho contribui para um ambiente inovador. Ele diz que a Ricoh testou o modelo no Brasil entre os meses de janeiro e dezembro e está testando também em outros países. O objetivo é entender os benefícios do modelo, para poder aplicá-lo no futuro. Segundo Ghirotti, os resultados dos testes foram “bastante positivos”, tanto em engajamento da equipe quanto em inovação.

Usos da impressão 3D na saúde, nas fábricas e até na comida. Segundo o executivo, há hoje usos para a impressão 3D na saúde, com a impressão de membros e partes do corpo. Também no ambiente fabril, com a impressão de uma peça de máquina quebrada, o que evita a paralisação da produção enquanto a peça de reposição original não chega. Disse que existem experimentos até para a impressão de alimentos, e que no futuro poderemos consumir alimentos quentes saídos de uma impressora.

Inteligência artificial vai superar trabalhos repetitivos. Ghirotti diz que a Ricoh criou uma ferramenta de inteligência artificial que ajuda a reparar os equipamentos. O técnico liga para um telefone, diz qual é o modelo da máquina com problemas e um robô o ajuda a resolver o problema. Segundo o executivo, a inteligência artificial consegue superar trabalhos repetitivos. Portanto, se as pessoas conseguirem atuar ajudando a empresa a pensar e inovar, e não apenas apertando botões, é possível “blindar os empregos”.

Papéis para impressão têm demanda alta e derrubam árvores. O executivo disse que, mesmo com o avanço do digital, o número de documentos impressos no mundo continua crescendo. Ao falar sobre impressões em papel e a sustentabilidade, Ghirotti disse que as madeiras usadas para produzir papel são plantadas com esse objetivo. Sendo assim, o papel é mais ecológico do que o lixo eletrônico de um celular ou computador, por exemplo.

Veja a seguir destaques da entrevista:

Semana de 4 dias

A gente fez um experimento nos meses de dezembro e janeiro, que foi o trabalho em quatro dias da semana. Pode parecer pequeno, mas o colaborador, quando se sente abraçado pela organização, cria mais. E isso a gente vê refletido no dia a dia da corporação. São pequenos cuidados que no final das contas trazem muito de inovação. Funcionários mais satisfeitos conseguem criar mais. A grande maioria das empresas inovadoras tem esse conceito.

Impressão 3D

O 3D é uma revolução do ponto de vista de impressão. Temos vários segmentos. Temos o de saúde, em que a gente consegue imprimir membros, imprimir partes. A gente consegue no ambiente fabril imprimir em alta velocidade alguma parte de alguma máquina que quebrou. Outra curiosidade é o aprimoramento para a impressão de alimentos. Lembro de um evento em que a gente imprimiu uma bala dentro de uma impressora.

Inteligência artificial

A inteligência artificial consegue superar trabalhos repetitivos. Se eu fizer com que os nossos colaboradores tenham a capacidade de atuar não com trabalhos repetitivos, não apertando botões, mas sim ajudando a organização a pensar, inovar e levar o nosso negócio adiante, a gente consegue blindar os empregos, tanto na minha corporação quanto do ponto de vista de país.

Impressão em papel e sustentabilidade

Papel hoje não derruba árvores. Todas as madeiras que produzem papel, especialmente no Brasil, são madeiras plantadas exclusivamente para a produção de celulose. Então, do ponto de vista ecológico, eu arrisco a dizer que o papel é mais ecológico do que um lixo eletrônico de um celular ou computador. Ele é mais ecologicamente viável.

Quem é Giancarlo Ghirotti

Idade: 44
Local de nascimento: São Paulo (SP)
Formação: Graduado em Direito pela Universidade Mackenzie e em Relações Internacionais pela PUC-SP. Pós-graduação em comércio internacional pela FESP-SP e em direito civil pela Estácio de Sá, além de MBA na FGV-SP (gestão estratégica) e na FIA-USP (recursos humanos).
Cargos de destaque na carreira: Presidente da Ricoh no México e na Colômbia, diretor comercial da Ricoh Brasil, e posições de liderança em empresas como Xerox e Simpress/HP.

Como é a Ricoh

Fundação: A Ricoh foi fundada no Japão em 1936. Foi responsável pela invenção de uma das primeiras câmeras fotográficas do mundo. Hoje produz impressoras, projetores, telões inteligentes, câmeras 360° e impressoras 3D.
Funcionários: 81 mil funcionários no mundo, sendo que no Brasil são 410.
Países onde atua: Está presente em mais de 200 países.
Faturamento em 2022: US$ 12,8 bilhões

Fonte: UOL Líderes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *