Bolsonaro enviará reforma da previdência ao Congresso nas vésperas do Carnaval

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) enviará o texto da reforma da previdência ao Congresso Nacional nas vésperas das folias de Carnaval. É o momento que os brasileiros mais se distraem com Rei Momo, os blocos, os salões, enfim, quando todos se desligam do mundo real para mergulhar na festa mais pagã do mundo.
O objetivo de Bolsonaro é acabar [na prática] com a possibilidade de os brasileiros se aposentarem enquanto viverem, elevando o teto da idade mínima, limitando acesso de pensionistas, etc. Tudo isso para transferir esse trilionário mercado para os bancos privados e exonerar o Estado de pagar sua parte nas aposentadorias, ou seja, garantir o superávit primário visando o pagamento da suposta dívida interna com os banqueiros.

O diabo é que a velha mídia que se diz vítima do fascismo do capitão reformado do Exército é parte neste novo massacre contra os trabalhadores brasileiros. TVs, rádios e sites de especuladores e lobistas também adotam a linha da chantagem contra Bozo para retirar direitos do povo.

Globo, Folha, Estadão, Veja, et caterva, discordam de alguns tópicos morais do governo Bolsonaro, mas estão em pleno acordo em relação ao saque das riquezas nacionais e a transferência de ativos para bancos e capitais estrangeiros.

A chantagem da velha mídia consiste no jogo que ameaça tirar Bolsonaro no cargo, por corrupção, e promove o vice general Mourão à condição de “perigo” iminente que pode susbstituí-lo.

Esta tática criminosa da velha mídia já fora utilizada durante o governo de Dilma Rousseff — que acabou derrubada quando tentou reagir — e no governo golpista de Michel Temer, o mais impopular da história, mas acabou ficando no cargo porque, de acordo com as possibilidades dele, cumpria à risca a pauta ditada pelo diabólico mercado.

Jair Bolsonaro parece ter caído na mesma armadilha. Virou refém dos jornalões e da Globo, que blindam os ministros Paulo Guedes (Economia) e Sérgio Moro (Justiça) com o intuito de garantir o saque ao tesouro público e fazê-lo suco de laranja.

Fonte: Blog do Esmael Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *