Contra Covid nos frigoríficos, sindicalistas levam caixão à Bolsa de Valores de SP

Cerca de 120 dirigentes sindicais, de todos os estados do país, participaram nesta quinta-feira (24) de um ato contra a negligência das empresas, diante da contaminação de trabalhadores pela Covid nos frigoríficos. A manifestação foi na Bolsa de Valores de São Paulo, e o objetivo era alertar sociedade e investidores, sobre o drama vivido nas fábricas.

“O setor de proteína animal está tendo lucros durante todo o período da pandemia, mas na linha de produção, 25% dos empregados já foram contaminados”, apontou o vice-presidente da CNTA, Artur Bueno Júnior. Os sindicalistas pedem testagem em massa nas indústrias, a redução em 50% da aglomeração nas linhas de produção, e a troca diária de máscaras.

O ato na Bolsa fez parte da campanha “A carne mais barata do frigorífico é a do trabalhador”, e foi definido após uma reunião sem resultados com a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), em 9 de setembro. Naquela ocasião, os empresários se recusaram a atender as reivindicação dos trabalhadores.

Na frente do prédio da Bolsa, um caixão simbolizava o trágico destino dos trabalhadores de frigoríficos – um cortejo fúnebre foi simulado. No local, um grupo de apoio vestido com o uniforme característico do setor, conscientizava a população sobre o problema. Com um aparelho de som, os dirigentes sindicais explicavam a pauta, às pessoas que trafegavam pelo local, e para quem entrava no centro de finanças.

“Somente com a atenção da sociedade, e de setores como o mercado financeiro, os empresários vão entender que não podem continuar produzindo sem respeitar a vida humana. A campanha continua”, finalizou o presidente da CNTA, Artur Bueno de Camargo.

Fonte: CNTAafins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.