Negociação garante aos funcionários da BRF Participação nos Lucros

Mais de 100 mil trabalhadores do grupo BRF receberão PPLR (Programa de Participação nos Lucros e Resultados) com pagamento até o final do mês. A negociação aconteceu na manhã da quarta (4), em São Paulo, após apresentação dos lucros de 2019 da empresa.


Confederações, Federações e Sindicatos participaram da negociação

As Confederações que representam a categoria, CNTA Afins (Confederação dos Trabalhadores em Alimentação e Afins) e Contac (Confederação Brasileira Democrática dos Trabalhadores da Alimentação da CUT), comandaram as tratativas. Também estiveram presentes Federações e Sindicatos de diversos estados e cidades.

O acordo garantiu aos funcionários da BRF reajuste na PLR de 11% sobre o valor dos salários, mais 15%, limitados a R$ 500,00. O valor será pago até o dia 31 de março em parcela único.

Segundo Artur Bueno de Camargo o índice não foi o ideal para os sindicalistas, mas representa um avanço no atual cenário econômico. Ele diz: “Não era o que gostaríamos, mas dentro do panorama podemos considerar que representa um avanço”.

Na mesa, dirigentes das Confederações (CTNA e Contac)  e representantes da BRF

Artur revela que não foi uma negociação fácil. “A BRF é uma empresa com mercado aberto. Tem os interesses dos acionistas e do Conselho, que querem preservar sua fatia do bolo. Tudo isso passa por um processo de análise pra saber se não vai atingir os acionistas. Por isso é sempre difícil”, ele afirma.

O dirigente informa que agora as entidades de classe se preparam para iniciar as negociações relativas à revisão das metas de 2020. “Não adianta a empresa estabelecer metas inatingíveis. Isso vai gerar o efeito oposto e desestimular no trabalhador”. 

Mais – Acesse o site da CNTA

Fonte: Agência Sindical/CNTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.