Acordo Coletivo da Funcamp é aprovado com 90,7% dos votos: Pisos salariais serão reajustados em 4%

Negociação difícil – A Diretoria do SEAAC Campinas e Região começou a negociar as cláusulas do Acordo Coletivo depois de realizar a Assembleia para apresentação e discussão da pauta de reivindicações, no primeiro semestre de 2018.

Foram cerca de seis meses de discussões com a Funcamp, sem muitos avanços, e que  forçaram o SEAAC Campinas a pedir a mediação da Delegacia Regional do Trabalho. Na Mesa Redonda ocorrida no final de novembro do ano passado, a Funcamp chegou a apresentar um índice e depois, ao formalizar a proposta em dezembro, reduziu para um percentual abaixo do sinalizado na DRT.

Somente em janeiro veio a proposta final da Funcamp, e que chegou ao mínimo exigido pelo Sindicato, reposição integral da inflação acumulada de 3,61%, o mesmo índice conquistado pela categoria de Assessoramento, em dezembro do ano passado. O índice garante a reposição das perdas integrais da inflação sobre a base dos salários.

Os trabalhadores que ganham os pisos salariais terão seus salários reajustados em 4%.

O piso salarial para os que exercem as funções de “office boy”, ou mensageiro, recepcionista, faxineiro, porteiro, auxiliar de serviços gerais, copeira, vigia, entrevistador de pesquisas de campo, auxiliar da área técnica ou científica, atendente de negócios, atendente de telemarketing, jardineiro, ajudante de cozinha e auxiliar de limpeza passará a ser de R$ 1.264,00. Para as demais funções que recebem o piso salarial, o valor será de R$ 1.347,00.

As diferenças salariais e seus reflexos sobre férias, horas extras, benefícios, décimo terceiro salário, serão pagas em uma única parcela, até o quarto dia útil de março.

Vale-refeição e alimentação
O reajuste dos vales-refeição e alimentação será de 4%, com reposição da inflação e aumento real, passando, respectivamente a R$ 21,75, o unitário e R$ 229,89. Somados os dois benefícios dos vales-refeição e alimentação, totalizam o valor de R$ 708,39 (no mês em que houver 22 dias trabalhados).

As diferenças dos benefícios (vale-alimentação e auxílio-refeição) relativas ao período de agosto/2018 a janeiro/2019, serão creditadas em uma parcela, em até 10 dias, contados da data da assembleia dos trabalhadores, ou seja, até o dia 3 de fevereiro.

Os demais benefícios como auxílio creche, auxílio filho especial, adicional de permanência, seguro de vida, complementação auxílio previdenciários terão reajuste de 3,61% (inflação integral).

Confira as principais cláusulas econômicas conquistadas
Piso Salarial: office boy”, ou mensageiro, recepcionista, faxineiro, porteiro, auxiliar de serviços gerais, copeira, vigia, entrevistador de pesquisas de campo, auxiliar da área técnica ou científica, atendente de negócios, atendente de telemarketing, jardineiro, ajudante de cozinha e auxiliar de limpeza: R$ 1.264,00

Piso demais funções: R$  1.347,00

Triênio: R$ 60,10

Complementação do Auxílio Previdenciário: R$ 2.313,75

Reembolso Creche: R$ 449,74

Reembolso Filho Especial: R$ 449,74

Vale Alimentação: R$ 229,89

Vale Refeição: R$ 21,76

Seguro de Vida: R$ 14.918,00

Cláusulas novas

Trocas de plantão em Escala Noturna (área da saúde)

O empregado que se ativa em escala 12 x 36, no período noturno, caso seja de seu interesse, poderá trocar seus plantões, no limite de duas trocas mensais, desde que haja concordância prévia da chefia imediata.

Trocas de plantão em Escala Diurna (área da saúde)

O empregado que se ativa em jornada de seis horas, no período diurno, em regime de escala de segunda a segunda na área da saúde, caso seja de seu interesse, poderá trocar seus plantões, no limite de duas trocas mensais, desde que haja concordância prévia da chefia imediata.

Sustentação financeira do Sindicato

A presidente do SEAAC Campinas, Elizabete Prataviera, fez um apelo para que os trabalhadores e trabalhadoras da Funcamp autorizem o desconto das contribuições assistencial e sindical, que são as fontes de sustentação do Sindicato. “Se vocês acham que as conquistas de hoje neste Acordo Coletivo de Trabalho não são as ideais, saibam que sem o trabalho do Sindicato vocês correm o risco de ter reajuste 0%, como queria a Funcamp e ainda podem perder cláusulas que conquistaram com muita luta nestes anos todos. O Sindicato depende do dinheiro do trabalhador para continuar com sua ação e contamos com vocês para que esta luta continue, porque somente juntos somos fortes e podemos barrar os retrocessos trazidos pela nova lei Trabalhista”, apelou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *