Artigos de menuUltimas notícias

Risco de infarto aumenta na segunda-feira, mostra estudo preliminar

A segunda-feira pode mesmo ser um dia difícil para as pessoas, principalmente porque marca o término do fim de semana. Recentemente, os pesquisadores descobriram que o risco de infarto aumenta neste dia.

Para o estudo, que ainda é preliminar e necessita de avaliação de outros cientistas, os pesquisadores das instituições Belfast Health and Social Care Trust e Royal College of Surgeons analisaram dados de mais de 10 mil pacientes na Irlanda.

Eles foram internados em um hospital entre 2013 e 2018 com o tipo mais grave de ataque cardíaco (STEMI). O problema ocorre quando uma grande artéria coronária é completamente bloqueada.

Os autores do estudo notaram um aumento nos índices de infarto durante a segunda-feira. No entanto, eles também encontraram taxas de ataque cardíaco acima do esperado no domingo. A relação, segundo a análise, seria o início da semana de trabalho.

“Este estudo acrescenta evidências sobre o momento de ataques cardíacos particularmente graves, mas agora precisamos desvendar o que há em certos dias da semana que os tornam mais prováveis”, Nilesh Samani, médico da British Heart Foundation.

Por que o estudo é importante?

A descoberta pode ajudar os médicos a entender melhor esse problema grave de saúde e, com isso, evitar casos e salvar mais vidas.

Ainda de acordo com os autores, a informação já tinha sido descoberta antes e estaria relacionada ao ritmo circadiano (ciclo de sono/vigília do corpo).

“A causa provavelmente é multifatorial, no entanto, com base no que sabemos de estudos anteriores, é razoável presumir um elemento circadiano”, disse o cardiologista Jack Laffan, líder do estudo.

Os resultados foram apresentados na última semana, durante conferência anual da British Cardiovascular Society. Os resultados são considerados preliminares até serem publicados em uma revista científica revisada por pares.

Os resultados são considerados preliminares até serem publicados em uma revista científica revisada por pares.

Fonte: VivaBem/UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *