Trabalhadores da Nestlé podem entrar em greve

“Araraquara, Araras, Marília, Araçatuba são Nestle e recebem como trabalhadores da Nestlé, só Ribeirão Preto que não tem salário da Nestle”, desabafou Osvaldo Crispim presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Alimentação de Ribeirão Preto.

Em assembleia realizada hoje pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do açúcar da alimentação de Ribeirão Preto – STIARP, os trabalhadores da Nestle de Ribeirão Preto não aceitaram a proposta de acordo enviada pelo setor patronal. Compareceu a assembleia 278 dos 350 trabalhadores da Nestle que rejeitaram a proposta da empresa. Os trabalhadores buscam equiparação salarial com as outras unidades da Nestle, além da mudança da data base para o mês de novembro.

Segundo Osvaldo Crispim presidente do Sindicato da Alimentação de Ribeirão Preto os trabalhadores buscam adequar os salários aos das outras unidades da empresa Nestlé. “Os trabalhadores querem adequação de salários igual ao da Nestle da Anhanguera e das outras unidades e também a mudança da data base para o mês de novembro que é a data base da Nestle”.

“Hoje mesmo foi difícil de colocar os trabalhadores para dentro da fabrica. Faz 11 anos que aqui é Nestle e não paga salário igual os da outras unidades. Araraquara, Araras, Marília, Araçatuba é Nestle e recebem como trabalhadores da Nestlé, só Ribeirão Preto que não tem salário da Nestle”, desabafou Osvaldo Crispim presidente do Sindicato da Alimentação de Ribeirão Preto.

“Se melhorar o reajuste oferecida os trabalhadores até aceitam, mas querem uma nova negociação para estimular a data base para o mês de novembro”, explicou Osvaldo Crispim presidente do Sindicato da Alimentação.

Fonte: Comunicação Sindical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.